Notícias

14 de maio de 2018

High School na mídia!

O Programa High School Canada foi destaque, no último final de semana, no Jornal Estado de Minas. Abaixo trechos da matéria:

“Um dos segredos que temos desenvolvido é o equilíbrio da matriz pedagógica que estamos trazendo do Canadá. São matérias complementares, mas que permitem cumprir com o currículo canadense. Ao fim de dois anos, o aluno sai com o histórico escolar com todas as matérias naturais do ensino médio brasileiro e todas que são requeridas no canadense. As matérias da grade canadense também são reconhecidas no histórico do aluno no Brasil, inclusive pela Secretaria de Educação, da mesma forma que o daqui é integralmente reconhecido pelas autoridades canadenses”, afirma o superintendente da Sociedade Inteligência e Coração (SIC), mantenedora do Colégio Santo Agostinho, Márcio Horta.

O programa tem duração de dois anos. Entre as disciplinas, estão empreendedorismo, estudos midiáticos e questões mundiais. Ele é resultado de uma parceria com a Atlantic Education International (AEI), de New Brunswich, no Canadá. Ao longo desse período, os alunos estudam três disciplinas por semestre, todas ministradas por professores que têm o inglês como primeira língua. Dessa forma, o projeto propõe uma imersão na cultura do Canadá, por meio do aprendizado da cultura local, geografia, tradições e idioma oficial. Para complementar, é oferecido um serviço exclusivo de coaching, que tem por objetivo ajudar os estudantes a aprimorar suas habilidades, gerir bem o tempo e aumentar a disciplina e a dedicação.

Ex-aluna do High School do Colégio Santo Agostinho, Daniella Nunes, de 18 anos, foi aprovada no Canadá em duas universidades: Lakehead University, em biomedicina e biotecnologia; e na Simon Fraser University, no curso de engenharia. Ela conseguiu bolsa parcial nas duas faculdades por causa das notas. Em março, foi ao Canadá conhecer as duas instituições e diz que se encantou. A jovem tem que se decidir até agosto, pois as aulas terão início em setembro. “Quando vi meu nome na lista de aprovados, acho que foi o maior alívio que já senti na minha vida”, conta.

“Quando comecei o High School no colégio, não poderia imaginar que seria tão legal. O método de ensino é diferente, com aulas mais interativas, interessantes e dinâmicas. Aprofundamos mais os temas e existe uma grande troca de conteúdos entre os próprios alunos. Aprendemos as matérias com mais facilidade, porque somos protagonistas”, relata a menina, que no Brasil foi aprovada em odontologia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em primeiro lugar em medicina na Faculdade de Ciências Médicas e no mesmo curso na PUC Minas.

Clique aqui para ler a matéria completa.

Compartilhe