Notícias

14 de setembro de 2021

Colégio Santo Agostinho conquista o College Board Code, que amplia o acesso dos estudantes a cursos no exterior

Para facilitar ainda mais o acesso de estudantes a universidades estrangeiras, o Colégio Santo Agostinho acaba de obter o registro no College Board, um código que insere a Instituição na associação americana, que tem como objetivo ampliar o processo de admissão dos estudantes ao Ensino Superior.

Criada em 1900, atualmente a organização reúne mais de 6 mil instituições entre colégios, faculdades e universidades de diferentes países. “O CEEB é um reconhecimento importante do nosso Colégio, como referência em internacionalização e certamente facilitará o processo de aplicação dos alunos em universidades internacionais. O número de estudantes que têm optado pela graduação no exterior tem crescido e nossas aprovações em universidades renomadas como a UCLA - University of California, Los Angeles (Estados Unidos), UBC – University of British Columbia, University of Toronto (Canadá) e Brunel University London (Reino Unido) são exemplos do sucesso dos nossos alunos nas aprovações internacionais”, destaca a supervisora de Relações Internacionais do Colégio Santo Agostinho, Clarissa Azeredo.

Estudar em uma universidade no exterior é o sonho de muitos jovens. Além de ter acesso a cursos de alta qualidade e de conhecer novas culturas, essa experiência pode ser um diferencial no currículo. Os programas de Internacionalização do Colégio criam relações de colaboração mútua com universidades do exterior e oferecem subsídios para que os alunos recebam melhor orientação, caso optem por cursar o ensino superior em outro país.

O Colégio Santo Agostinho oferece, há 7 anos, o Canadian High School, um programa de complementarização curricular em que os alunos cursam disciplinas canadenses durante a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, das Unidades Belo Horizonte e Nova Lima, potencializando suas possibilidades de estudar no exterior. Em parceria com a Província de New Brunswick, professores canadenses e americanos lecionam disciplinas diversas, buscando desenvolver habilidades do século XXI. Ao final do programa, os estudantes recebem os diplomas brasileiro e canadense. “Nossos programas de internacionalização preparam os estudantes para as constantes mudanças da humanidade e ampliam a visão de mundo”, finaliza Clarissa.

 

Compartilhe