Notícias

17 de maio de 2021

OBA: ESTAVA ESCRITO NAS ESTRELAS

“Comecei as minhas jornadas nas olimpíadas acadêmicas no 9º ano, e com certeza, nunca imaginaria que em um período tão atípico como o que estamos vivenciando, seria um dos sortudos a passar pela primeira bateria de provas das seletivas que decidirão os cinco integrantes brasileiros para as Olimpíadas Internacionais de Astronomia.”

A frase acima é do Felipe Khoury Kalil, aluno da 3ª série do Ensino Médio. Felipe é participante assíduo nas olimpíadas do conhecimento, sempre obtendo resultados expressivos e muito honrosos. Na última OBA – Olimpíada Brasileira da Astronomia, ele foi um dos participantes brasileiros na etapa internacional do concurso.

Felipe nos conta que aprendeu muito com as olimpíadas, muitas vezes precisando desconstruir algum raciocínio ou intuição, construindo estratégias diferenciadas para resolver questões com grande subjetividade.

Além de lindas fórmulas, a Astronomia também possui uma parte que envolve mais o “repertório celeste”, que é a leitura de cartas celestes e identificação de apontamentos de estrelas e constelações; existem 88 constelações no hemisfério celeste sul, todas com suas estrelas α e β, ou seja, é necessário saber dos nomes de 264 corpos no total, sem contar com os objetos de céu profundo, como nebulosas, galáxias e aglomerados estrelares. Ufa!  Felipe acha essa parte mais difícil, mas desenvolveu uma técnica própria de memorização, estudando de forma gradativa e resolvendo questões de provas antigas, dominando todos esses conceitos.

O sucesso desse “garoto estelar” é fruto daquela primeira olimpíada realizada no 9º ano. A experiência, maturidade e entusiasmo pelo conhecimento nasceram naquela época e o acompanham desde então. A importância dessas olimpíadas é o ganho de motivação e autoconfiança para outros testes que acontecerão na vida do Felipe e de todo estudante. Outro aspecto importante das competições é o ingresso, nas universidades, tanto no exterior quanto aqui, que reservam algumas vagas exclusivas para quem participa de olimpíadas, evidenciando ainda mais essa importância tanto para com a experiência quanto para a carreira que se quer seguir.

A 24ª OBA — Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica será realizada virtualmente, OBA 2021 VIRTUAL, em todo o território nacional, e os alunos do Colégio Santo Agostinho Nova Lima, do 6º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio, inscritos no concurso, já estão se preparando para as provas no dia 28 de maio.

Fiquem atentos às próximas Olimpíadas do Conhecimento e ganhem o mundo!

Compartilhe